{:br}16/11{:}{:en}16/11{:}

{:br}

Gaudério

Cia. Matheus Brusa (RS)

16/11 (quarta) – 20h

Espaço Xisto Bahia

Gratuito

Cia. Matheus Brusa (Rio Grande do Sul)

O trabalho surge como uma tentativa de tornar consciente a influência das baixas temperaturas na cultura de um povo, o que reverbera no estado corporal, melodias e ritmos. O enfoque é o discurso corporal assimilado através de reconfiguração do corpo organizado da chula tradicional. Diálogo coreográfico de corpos e culturas, mesclando e atualizando a riqueza de elementos da cultura gaúcha em uma das possíveis configurações que a arte contemporânea permite.

O projeto foi contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna.

Elenco: os bailarinos Daiane Kerber, Isadora Martins, Natália Colombo e Diego Santos e os músicos Rafael de Boni, Guilherme Rosset, Lazaro Nascimento e Matheus Brusa.
Direção e coreografia: Matheus Brusa
Direção musical: Lazaro Nascimento
Desenho de iluminação: Matheus Brusa
Produção e operação de iluminação: Katherine Brusa
Operação de Áudio: Antonio Valiente


psdb-foto-por-ives-padilha-4_redu

PSDB
Balé Jovem de Salvador + Jorge Silva (BA)

O solo PSDB (Pacto Sombrio Destruindo Brasileiros) extrapola o questionamento sobre as posições do partido político que vão de encontro com a visão e lógica de vida do coreógrafo, e propõe uma análise sobre o conservadorismo ideológico que se perpetua no país e que alimenta o estereótipo do negro na sociedade. No plano mais literal, PSDB denuncia a não justiça e a exclusão dessa população pobre e como há o sofrimento pela carência cultural, de educação, saúde e a falta de opções que empurra milhares de jovens à exclusão social e não a escolhas.

Nesse sentido, o trabalho fala de negros que estão sendo mortos a cada dia, de forma invisível, porém indelével. Da mãe que perde o filho repentinamente ao filho que perde o pai… A literalidade é manifesta de forma indireta na movimentação em cena, por meio de elementos invisíveis/lúdicos, tendo como pano de fundo as letras de Emicida e o som de Handel, outro rebelde que fugiu ao destino traçado para a advocacia, tornando-se um dos célebres compositores do século XVIII.

Direção e coreografia: Jorge Silva
Bailarinos: Clara Boa Sorte e Igor Vogada
Comunicação: Cadu Oliveira
Produção: Rodrigo Figueiredo e Junior Oliveira
Coordenação BJS: Matias Santiago


afro-urbania-foto-divulgacao-2Afro-Urbania

iNsight (BA)

O que é ser afrodescendente? A proposta deste trabalho não tem a pretensão de responder algo que não cabe em palavras, mas sim através de uma releitura coreográfica contemporânea de elementos e heranças africanas com influências do hip-hop. Danças que se desenvolvem no ambiente urbano, com matrizes da África e hibridizadas por seus descendentes.

Direção/Coreografia Grupo iNsight: Bruno Vieira, Dam Fernandes, David Barros, Eilan Silva, Nahtye Guimarães

Produção artística: Gil Alves{:}{:en}

Gaudério

Cia. Matheus Brusa (RS)

November 16 (Wednesday) 8:00 PM

Espaço Xisto Bahia

Free entrance

Cia. Matheus Brusa (Rio Grande do Sul)

The work comes as an attempt to bring awareness to the influence of low temperatures to the culture of a people, which reverberates in body condition, melodies and rhythms. The focus is the body speech assimilated through reconfiguration of the organized body of traditional chula dance. Choreographic dialogue of bodies and cultures, merging and updating the wealth of elements of the gaúcho culture in one of the possible configurations that contemporary art allows.

Cast: dancers Daiane Kerber, Isadora Martins, Natália Colombo and Diego Santos, and musicians Rafael de Boni, Guilherme Rosset, Lazaro Nascimento and Matheus Brusa.
Direction and choreography: Matheus Brusa
Musical direction: Lazaro Nascimento
Lighting design: Matheus Brusa
Production and lighting operation: Katherine Brusa
Audio Operation: Antonio Valiente


psdb-foto-por-ives-padilha-4_redu

PSDB
Balé Jovem de Salvador + Jorge Silva (Bahia)

The solo work PSDB – Pacto Sombrio Destruindo Brasileiros transcends the questioning about the positions of the political party that go against with the vision and life logic of the choreographer, and proposes an analysis of the ideological conservatism perpetuated in Brazil and nourishes the stereotype of the Black people in society. In the most literal sense, PSDB denounces the anti-justice and exclusion of this poor population and how suffering exists as a result of scarcity of culture, education, health and the lack of options that push thousands of young people to social exclusion and not to choices.

In this sense, the work talks about Black people who are being killed every day, in an invisible, but indelible way. From the mother who suddenly loses her son to the son who loses his father… The literalness is showed indirectly by the scenic movements, through invisible / playful elements, having on the background the lyrics of rapper Emicida and the music of Handel , another rebel who escaped the fate of studying law, becoming one of the renowed composers of the 18th century.

Direction and choreography: Jorge Silva
Dancers: Clara Boa Sorte and Igor Vogada
Communications: Cadu Oliveira
Production: Rodrigo Figueiredo and Junior Oliveira
Balé Jovem de Salvador Coordination: Matias Santiago


afro-urbania-foto-divulgacao-2Afro-Urbania

iNsight (Bahia)

What does it mean to be African descendant? The purpose of this work isn’t intended to answer something that can’t be put into words, but through a contemporary choreographic interpretation of elements and African heritage with hip-hop influences. Dances that develop in the urban environment, with African origins and hybridized by their descendants.

Grupo iNsight Direction / Choreography: Bruno Vieira, Dam Fernandes, David Barros, Eilan Silva, Nahtye Guimarães
Artistic production: Gil Alves{:}

Local:

Data:

Horário:

Valor:

Mostra Artística

pachamariaharveymorena + Planta do Pé

Morena Nascimento (MG/BA) + Maria Eugenia Tita (SP)

Calabouço + INVente EXperimente (INVEX)

Kátharsis Cia. de Dança (BA) + Artistas diversos

JUNTO

Coletivo Lagoa (Portugal)

Aboios + Brasil com Z + Vaca Profana

Coletivo Rapadura com Urucum & Dendê (BA) + Cia. de Atores Bailarinos Adolpho Bloch (RJ) + Grupo de Dança e Performance da UFS e Coletivo Na Pele (SE)

Bachannal + A Viagem

Lori Belilove (EUA) e Contemporânea Ensemble (BA) + Escola Contemporânea de Dança (BA)

Fórum de Educadores de Dança

Pelo sétimo ano, a JORNADA DE DANÇA DA BAHIA inclui em sua programação o Fórum de Educadores de Dança, uma ação pioneira voltada à reflexão e ao desenvolvimento do ensino da dança, em todo seu potencial transformador, na Bahia e no Brasil. Reunindo professores e dançarinos de cidades do interior e da capital baiana, além de vindos de outros estados, o Fórum realiza um intercâmbio sólido de experiências vividas em diferentes contextos, mas sempre conectadas pelo interesse de se abranger repertórios diversos, questionar paradigmas, aprofundar o conhecimento e qualificar a prática. Oficinas, workshop, bate-papo e palestra, em paralelo a uma programação artística que reconhece e valoriza a formação artística do dançarino, objetivam instrumentalizar os profissionais de educação em dança para que sejam pontes cada vez mais firmes para travessias humanas e cidadãs.

Os participantes do Fórum de Educadores de Dança são professores, educadores e profissionais de dança inscritos em convocatória pública, que usufruem do evento de forma totalmente gratuita.

Programação

14/11 (quinta)

  • Oficina com Rosane Campello (RJ) e Luciana Carnout (RJ)

    9h00 às 12h00, na sala de ensaio do Teatro Castro Alves | Para participantes inscritos | Gratuito
  • Workshop: Subjetividade em Rede, com Gisela Tapioca (BA)

    14h00 às 18h00, no Goethe-Institut Salvador | Para participantes inscritos | Gratuito

15/11 (sexta)

  • Oficina com Morena Nascimento (MG/BA)

    9h00 às 12h00, na sala de ensaio do Teatro Castro Alves | Para participantes inscritos | Gratuito

16/11 (sábado)

  • Oficina com Maria Eugenia Tita (SP)

    9h00 às 12h00, na sala de ensaio do Teatro Castro Alves | Para participantes inscritos | Gratuito
  • Mesa-redonda: “Dramaturgias do Corpo em Cena”

    Com Marcelo Moacyr (BA/SE), Maria Eugenia Tita (SP) e Morena Nascimento (MG/BA); Mediação: Edileusa Santos (BA) | 14h00 às 16h00, no Goethe-Institut Salvador | Para participantes inscritos | Gratuito

17/11 (domingo)

  • Oficina com Vânia Oliveira (BA)

    9h00 às 12h00, na sala de ensaio do Teatro Castro Alves | Para participantes inscritos | Gratuito
  • Palestra: “A criança nova... A criança eterna”, com Lydia Hortélio (BA/SP)

    14h00 às 16h00, no Goethe-Institut Salvador | Para participantes inscritos | R$ 150

Acesse os Currículos


Edileusa Santos (BA)


Gisela Tapioca (BA)


Luciana Carnout (RJ)


Lydia Hortélio (BA/SP)


Marcelo Moacyr (BA/SE)


Maria Eugenia Tita (SP)


Morena Nascimento (MG/BA)


Rosane Campello (RJ)


Vânia Oliveira (BA)